Socioambiental

Índios Xikrin-Kaiapó colhem os resultados do manejo florestal sustentável

Nas últimas duas décadas, o setor madeireiro tem se mostrado especialmente predatório na região amazônica, principalmente no sul do Pará, habitada pelos índios Kaiapó. As terras dessas comunidades vêm sendo sistematicamente invadidas e degradadas, em alguns casos com a anuência dos próprios líderes indígenas. Esse modelo predatório nem sempre garante retorno financeiro justo para as comunidades e a falta de preocupação com a proteção ambiental põe em risco a sobrevivência futura destes povos.

Lixo urbano

Poderia criticar as três esferas de poder em relação a esta questão e apresentar caminhos para solucioná-la; como o espaço é curto, vou me ater somente à segunda parte da proposta. O lixão é forma arcaica de depositar o lixo urbano, normalmente são lançados ao solo sem qualquer monitoramento e tratamento. Não vem acompanhado de qualquer estudo prévio do impacto ambiental, a contaminação do solo é inevitável, com o tempo solta um líquido, “o chorume” que atinge o lençol freático. Em diversos municípios do país, o lixão citado é a forma usual, mais barata para a Prefeitura

O caos urbano

Almir Chiarato Dias Que tipo de reflexão podemos ter ao andar pelo centro sujo e pichado de São Paulo (não é muito diferente de outras metrópoles), conviver entre ilhas de calor provocadas pelo excesso de asfalto e concreto, ou presenciar… Leia mais ›