Muérdete la lengua

  MUÉRDETE  LA  LENGUA                Nair Lúcia de Britto   Se você brigou com alguém Faça as pazes… As brigas entristecem Separam pessoas que se amam É só cada um… Ceder um pouquinho daqui Um pouquinho dali… Para chegar a um acordo Que fique bom para os dois!   Tudo acaba em sorrisos… Renovando o amor Todos têm seus defeitos Mas também qualidades   Cada … Continuar lendo Muérdete la lengua

Poema Fora de Moda

  Poema Fora de Moda Gilda E. Kluppel No vestuário comercial calças de boca de sino se despedem para em breve estarem novamente em voga no sapato o bico ora se alarga, ora se afina lenços que são levados pelo vento e voltam para dar novo alento. Entre as miudezas de uma bolsa ocasional o celular de última geração desbloqueado, carregado e tão estimado fala … Continuar lendo Poema Fora de Moda

Passarinho na janela…

PASSARINHO NA JANELA… Nair Lúcia de Britto     Ontem, um passarinho Veio me visitar Pousou na minha janela E ficou a me olhar… Pequenino… Bonitinho! Quem dera tomá-lo para mim Mas eu sei que a liberdade dele É um tesouro sem fim!   Vai passarinho! Vai!… Voa por entre as árvores Vai com seus amiguinhos Alegre, a cantar… Que eu ficarei aqui na janela … Continuar lendo Passarinho na janela…

Duro de Matar”? – NÃO!

  Nair Lucia de Britto   Duro de Matar”? – NÃO! Duro de Matar, não! Duro de se ver Tanta violência no Cinema E na Tevê… Filme de violência Só deseduca e faz mal Desligue a tevê Ou mude de canal! Criança Esperança É uma educada criança   Que sabe ser fraternal E repele sempre o Mal Os artistas são seres privilegiados que receberam um dom de Deus para auxiliar … Continuar lendo Duro de Matar”? – NÃO!

Orgulho

ORGULHO            Nair Lúcia de Britto   O orgulho é o líder De outros descalabros Os orgulhosos disputam Quem é o mais forte O mais poderoso O mais enricado Etc e tal… Daí começa o Mal!   Ontem era a bomba de Hiroshima Hoje é o míssil não sei das quantas… No final das contas, os orgulhosos Acabam no caixão Levando consigo Uma população…   … Continuar lendo Orgulho

Rebeca

REBECA Nair Lúcia de Britto     Rebeca querida Como sinto saudades dos nossos passeios Pela orla da praia do Gonzaga Você veio… Para trazer alegria e felicidade Para todos com quem encontrava Você sempre sorria  “Com o rabo”!   Querida sobrinha, Sim, sobrinha, porque sendo filha Da minha melhor amiga… É minha sobrinha Sempre que com ela você vinha Recebia-me  com festa… E a recepção … Continuar lendo Rebeca

o bom cultivador

O bom cultivador Cultiva sempre o Amor Ouvi esta poesia, anos atrás, recitada por uma menina, aluna de um Colégio Estadual, do Rio de Janeiro. Tratava-se de uma reportagem da tevê Cultura, sobre um projeto que circulava nas Escolas. Além do aprendizado e incentivo à leitura, o projeto estimulava os alunos a escreverem uma poesia da própria autoria. E assim, a pedido da Professora, vários … Continuar lendo o bom cultivador

Lembranças paternas

LEMBRANÇAS PATERNAS nair lúcia de britto Abri, hoje, um pequeno caderno que mamãe guardou muito bem guardado e que,agora,sou eu quem guarda. É um caderno de Citações literárias transcritas por meu pai, dos seus autores prediletos. São anotações muito antigas, que ele escreveu quando bem jovem e ainda solteiro; bem antes de conhecer minha mãe. Uma dessas citações que eu aprecio é de Rui Barbosa, … Continuar lendo Lembranças paternas

Um doce café frio

Por Gilberto da Silva   Quem me chamou para um café, e não foi? Quem acendeu um pavio e o deixou ao vento morno das manhãs? Coisas do destino. Aquele pó está ficando velho e o cheiro já foi embora. Não há mais pó? Nem água? Ilusões?   Aos poucos, cafés, mensagens, telefonemas e imagens se dissipam no horizonte das manhãs. Não há mais o … Continuar lendo Um doce café frio

Avenida Paulista

Avenida Paulista Gilda E. Kluppel   Soberana reina no alto da cidade com entardecer inigualável composto de reflexos e cores de tom cinza azulado. Uma estação de brigadeiro vestida de verde aguarda os visitantes muitos trabalhadores apressados alguns robotizados e turistas deslumbrados. Poesia existe em seus contornos e entornos ou no espaço reservado a casa chamada das Rosas que insiste em se impor diante de … Continuar lendo Avenida Paulista