Pesquisadora encontra solidariedade no trânsito de São Paulo ao discutir o papel de mediação social dos jornalistas

A mobilidade urbana se tornou um dos temas mais recorrentes na discussão urbana contemporânea, tanto na esfera acadêmica como na jornalística. O ponto de maior visibilidade desse debate é, certamente, a característica caótica e, em grande medida, conflituosa do trânsito. Na contramão dessa perspectiva, a professora e jornalista Mara Rovida observa a dimensão solidária presente na cobertura e nas narrativas apresentadas por repórteres que atuam … Continuar lendo Pesquisadora encontra solidariedade no trânsito de São Paulo ao discutir o papel de mediação social dos jornalistas

Livros de luta política

Recebo uma caixa com dois livros de autoria do professor José de Lima Soares – que eu conheço como Soarão, paraibano de Catolé da Rocha, local que já me trouxe outro conhecido de luta, o Luiz Gonzaga da Silva, o Gegê,  o irmão do cantor Chico Cesar. Ambos, Gegê e Soarão, são meus antigos colegas do movimento dos trabalhadores gráficos nos meados dos anos 70. … Continuar lendo Livros de luta política

Dia Nacional do Livro

Dia Nacional do Livro (*) Renata Ribeiro de Moraes   Hoje, 29 de outubro, é o Dia Nacional do Livro. E é preciso mesmo celebrar, pois diante de tantos “rivais”, como a internet ou os livros digitais, ainda há espaço para ele comemorar e muito. Imagine se, no dia de hoje, para comemorá-lo, todos os escritores brasileiros se reunissem para festejar o dia. Imagine mais… Continue a … Continuar lendo Dia Nacional do Livro

O pretinho básico

John Harvey, em Homens de Preto,  transita entre a política, a arte e a história para analisar os vários usos da cor preta no traje masculino. Para além do mundo da modo o livro de Harvey mostra como a roupa preta já carregou os mais diversos significados ao longo da história.  O autor apresenta o amplo leque de significações que as vestimentas desta cor carregam, tudo … Continuar lendo O pretinho básico

Cultura em chamas: quando não apenas os livros são queimados

Cultura em chamas: quando não apenas os livros são queimados Gilberto da Silva[i] Resumo: A obra Fahrenheit 451, de Ray Bradbury, livro e filme (dirigido por François Truffaut em 1996) é o ponto de partida para refletir sobre questões como utopia/distopia, democracia/totalitarismo, sociedade vigiada/liberdade. Como viver numa sociedade totalitária onde a cultura se resume no mais puro lazer e o Estado nega aos seres humanos … Continuar lendo Cultura em chamas: quando não apenas os livros são queimados

Nos bastidores do Pink Floyd

Por Gilberto da Silva Ao som da trilha sonora do Pink Floyd aos poucos fui devorando esse livro da Editora Generale com quase 500 páginas e bem escrito pelo jornalista Mark Blake. O livro Nos  bastidores do Pink Floyd é literalmente uma viagem para dentro do mundo de uma banda que marcou uma geração (a minha…) e possui muitas entrevistas e uma pesquisa bem trabalhada … Continuar lendo Nos bastidores do Pink Floyd

A Cidade Como Negócio

Por Gilberto da Silva A Editora Contexto acaba de lançar um interessante livro sobre as cidades, fruto de uma construção lenta e coletiva realizada pelos pesquisadores do GESP – Grupo de Geografia Urbana Crítica Radical da Faculdade de Geografia da Universidade de São Paulo. O livro trata da urbanização e da produção do espaço urbano entendidas, na maioria das vezes, como simples resultantes do desenvolvimento … Continuar lendo A Cidade Como Negócio

Um diálogo improvável

Após, Margarete Hülsendeger premia seu leitor com seu segundo livro Um diálogo improvável – Homens e mulheres que fizeram história. A autora utiliza-se de vários gêneros literários para nos contar a história de homens e mulheres que se alinharam ao fio da História da Ciência. Ao construir diálogos, contos, pequenas entrevistas e cartas, a autora descreve o drama de mulheres – quase sempre em conflito … Continuar lendo Um diálogo improvável

25 de abril de 1974: Revolução dos Cravos em Portugal

Em 25 de abril de 1974, acontecia em Portugal a Revolução dos Cravos, ação liderada pelo Movimento das Forças Armadas (MFA) e que depôs o regime ditatorial do Estado Novo, criado por Antônio Salazar em 1933. Com a adesão em massa da população, a resistência do regime, enfraquecido militarmente, foi praticamente nula. A população distribuiu cravos vermelhos aos soldados, que os colocaram nos canos de … Continuar lendo 25 de abril de 1974: Revolução dos Cravos em Portugal

18/04 – DIA NACIONAL DO LIVRO INFANTIL

No dia 18 de abril celebra-se o Dia Nacional do Livro Infantil, em 18 de abril. A data é uma homenagem feita ao escritor Monteiro Lobato, que se dedicou à literatura infantil no Brasil. Indico aqui a leitura de O poder da ilustração no livro infantil, de Rodrigo da Costa Araujo, publicado na Revista partes em 2008. “Lírica, épica ou dramática como um poema, a … Continuar lendo 18/04 – DIA NACIONAL DO LIVRO INFANTIL

Camille Claudel, uma mulher

Um livro emocionante é Camille Claudel, uma mulher da  autora francesa Anne Delbée. Anne é consagrada Diretora teatral em seu país de origem, tendo inclusive dirigido a peça Une fenne, que falou justamente sobre Camille Claudel. “Les larmes coulent, silencieuses. Pour la première fois depuis des mois, devant l’oeuvre du sculpteur, elle pleure. Elle sait qu’il a tout compris ce jour-là, tout saisi dans un … Continuar lendo Camille Claudel, uma mulher

A Comunicação, por ela mesma

Por Gilberto da Silva A PAULUS lança O rosto e a máquina: O fenômeno da comunicação visto pelos ângulos humano, medial e tecnológico, de Ciro Marcondes Filho que busca formatar uma Teoria da Comunicação livre dos “vícios” da Sociologia, da Filosofia, da Antropologia ou da Ciência Política. Assim como vários estudiosos da área, Ciro que  professor da USP, deseja uma Nova Teoria da Comunicação feita e … Continuar lendo A Comunicação, por ela mesma

Movendo a aridez da Física

“Meu querido, confesso, com alguma vergonha, que nada entendia de tudo aquilo que você teimava em querer me explicar. Para mim era um amontoado de absurdos, sem nenhum sentido…”- Lembranças de Arosa in E Todavia se Move, Margarete J. V. C. Hülsendeger Obra: E Todavia se Move (E pur si muove)Autora: Margarete J. V. C. Hülsendeger Editora/Local: EDIPUCRS, Porto Alegre. Preço:s/i Ano: 2011 Páginas: 130 Fruto de um ensino defasado … Continuar lendo Movendo a aridez da Física

Um ser singular

Com certeza, o Balneário do Guarujá tem, teve e terá inúmeras personalidades que merecem uma biografia. No lindo Balneário paulista encontramos pessoas que merecem respeito e consideração. Pessoas plurais. Mas viveu na cidade um personagem, um homem, um ser singular: João Cruz Filho, exemplo raro de dignidade, trabalho, dedicação e honestidade. João Cruz Filho foi um modelo de atitude na linda linha reta em que … Continuar lendo Um ser singular

Ano Em Que Trafiquei Mulheres

  Jaqueline Novaes publicado em 01/12/2010 como http://www.partes.com.br/cultura/livros/anoquetrafiquei.asp   Ano Em Que Trafiquei Mulheres Antonio Salas ISBN: 9788576652922 Publicação: 2007 Editora: Planeta Páginas: 264     O Ano Em Que Trafiquei Mulheres é o título dado por Antonio Salas, pseudônimo de um jornalista investigativo espanhol para um dos seus melhores livros. O jornalista teve identidade oculta por um ano, afim de entender e desmascarar este … Continuar lendo Ano Em Que Trafiquei Mulheres

Mentes perigosas nas escolas – b u l l y i n g

Nair Lúcia de Britto publicado em 15/10/2010 como http://www.partes.com.br/cultura/livros/bullying.asp     A psiquiatra Ana Beatriz Barbosa Silva escreveu este livro sobre bullying, lançado pela Editora Objetiva Ltda, oferecendo mais uma vez uma importante contribuição não só à sociedade como também aos profissionais de educação, de saúde mental, de assistência social, da área de Direito (juízes, promotores, advogados e delegados de polícia); a fim de procurar … Continuar lendo Mentes perigosas nas escolas – b u l l y i n g

Acréscimos e diminuições no Novo Testamento

Acréscimos e diminuições no Novo Testamento   Max Leandro de Araújo Brito[*]   O Livro “O que Jesus Disse? O que Jesus não Disse?” (2006) foi escrito por Bart D. Ehrman, um importante crítico textual do Novo Testamento bíblico. Nessa obra ele aponta situações dos livros de Mateus, Marcos, Lucas e João, dentre outros, onde Jesus pode não ter falado determinadas palavras ou pode não … Continuar lendo Acréscimos e diminuições no Novo Testamento