Quando esquecer não é uma opção

QUANDO ESQUECER NÃO É UMA OPÇÃO Margarete Hülsendeger   O Estado não tem rosto nem sentimentos, é opaco e perverso. Sua única fresta é a corrupção. Mas às vezes até essa se fecha por razões superiores. E então o Estado se torna maligno em dobro, pela crueldade e por ser inatingível. Isso ele sabia muito bem. Bernardo Kucinski Em carta escrita a Oscar Pollak, Franz … Continuar lendo Quando esquecer não é uma opção

Livro resgata a trajetória política de Caio Prado Júnior

José Tadeu Arantes  |  Agência FAPESP – Uma velha anedota do folclore comunista reporta conversa que teria ocorrido entre o então primeiro-ministro da União Soviética, Nikita Kruschev, e o então primeiro-ministro da China, Chu En-Lai. Para fustigar o interlocutor, no momento em que as divergências sino-soviéticas haviam chegado ao ponto da ruptura, o russo referiu-se à origem social de cada um, lembrando que ele, Kruschev, … Continuar lendo Livro resgata a trajetória política de Caio Prado Júnior

Anti-Nelson Rodrigues e auto-anulação: questão de modernidade

Larissa Daiane Pujol Corsino dos Santos1 publicado em 05/01/2010 http://www.partes.com.br/cultura/antinelsonrodrigues.asp   Escrita em 1973, Anti-Nelson Rodrigues contraria toda sua obra anterior. Com o intuito de testar-se a si e o seu teatro, o autor consegue anular-se nessa obra que faz a questão de ser contra o próprio autor. Segundo Flávio Aguiar (2005), Anti-Nelson Rodrigues apresenta muito do autor, embora seu desfecho seja surpreendente. Com relação … Continuar lendo Anti-Nelson Rodrigues e auto-anulação: questão de modernidade