Do golpe de 2016 aos tempos difíceis da escola pública

 

Faculdade de Educação da Unicamp lança dois livros com download gratuito: “Escola Pública: tempos difíceis, mas não impossíveis” e “O golpe de 2016 e a educação no Brasil”, ambos em coedição com a Editora Navegando

As duas obras integram o esforço da instituição para ampliar o debate sobre os rumos que vem tomando a educação nos últimos anos, marcados pelos ataques à escola pública e o cerceamento ao trabalho docente. Os temas dos artigos foram previamente apresentados e discutidos em dois eventos promovidos pela Faculdade de Educação e vão além do aspecto educativo. Eles mergulham no momento atual, para desvendar os interesses em jogo e como estes se expressam nas recentes medidas de política educacional.

“Nosso objetivo tem sido produzir conhecimento, função da universidade que só se realiza com autonomia para pensar, debater e confrontar diferentes visões”, explica a diretora da faculdade, Dirce Zan. Ela acrescenta: “Neste sentido, esses dois livros representam também uma tomada de posição da Faculdade de Educação da Unicamp contra as tentativas de cercear a liberdade de ensinar e contra as estratégias de delação de professores, promovidas por movimentos como “escola sem partido” no Brasil, “con mis hijos no te metas” em diversos países hispano-americanos, além de outras iniciativas igualmente cerceadoras mundo a fora”.

 

“Escola Pública: tempos difíceis, mas não impossíveis”

Este livro resultou do Congresso Internacional “Escola Pública: tempos difíceis, mas não impossíveis” promovido no final de 2017 pela Faculdade de Educação da Unicamp, para comemorar seus 45 anos de luta pela escola pública. Para tanto, além de pesquisadores brasileiros, foram convidados os professores António Nóvoa, da Universidade de Lisboa, e o professor David Berliner, da Universidade do Colorado, nos Estados Unidos.

Os artigos do livro e o Congresso do qual resultaram não se limitam a analisar a escola pública e defende-la. Tratam de desmontar as falácias que fazem do estado uma espécie de origem de todos os males, que exaltam o privado e procuram destruir tudo o que tenha caráter público. Ao mesmo tempo, mostram como os ataques à escola pública não têm fronteiras: estão em ascensão tanto no Brasil, quanto na Europa e nos Estados Unidos.

Para o download gratuito do livro acesse www.fe.unicamp.br/publicacoes

 

“O golpe de 2016 e a educação no Brasil”

O livro reúne textos resultantes das conferências proferidas no curso livre de mesmo nome, promovido pela Faculdade de Educação da Unicamp no primeiro semestre de 2018. Nesse mesmo ano, faculdades das mais diversas Universidades brasileiras promoveram cursos e seminários de teor semelhante, começando pelo Instituto de Ciência Política da Universidade de Brasília, que por esse motivo sofreu fortes críticas e ameaça de processo judicial vindas do então ministro da Educação.

Mais do que reagir a essas ameaças e reafirmar a autonomia universitária, este livro e o curso que lhe deu origem procuram entender o processo político recente no Brasil, suas motivações e ligações com o que acontece no mundo. Com este propósito trata de analisar a fase atual do imperialismo, os interesses internos que motivaram o golpe, bem como a complementaridade das diversas medidas do governo golpistas. Assim é, por exemplo, com a “reforma” do ensino médio, que nunca seria tão destrutiva sem antes ter havido a “reforma” trabalhista.

Para o download gratuito do livro acesse www.editoranavegando.com

 

Barnabé Medeiros Filho –

Anúncios


Categorias:Educação, Educação, Notícias

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: