Narinas interditas

 

Ao VER, a gente permanece quem

Gilberto da Silva

 

Preparam nossos sentidos para a repulsa ao outro,

nosso narizes selecionados para sentir repulsa do cheiro das ruas,

dos guetos,

das vielas,

das quebradas.

E vem a humilhação, a degradação, o abandono.

Fim do cheiro da terra, fim do cheiro do povo.

Assim nos tornamos estranhos….

De estranhos para inimigos: um passo!

Da aturação social para a sentença de morte: uma linha!

Assim nos tornamos ferramentas dos propagandistas do ódio.

Anúncios


Categorias:Poesias

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s