Campanha Brasil Saudável e Sustentável amplia parcerias no Rio de Janeiro

redealimenta-05022016-destaque

Secretarias municipais de Educação, Trabalho e Emprego, Desenvolvimento Social e Saúde da capital fluminense discutiram estratégias de promoção da alimentação saudável

Brasília – Promover a alimentação saudável e combater a obesidade e o sobrepeso é o objetivo central da campanha Brasil Saudável e Sustentável, coordenada pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e executada em parceria com organizações governamentais e não governamentais. Nesta semana, uma série de encontros estabeleceu novas parcerias com a prefeitura do Rio de Janeiro (RJ).

A diretora de Estruturação e Integração dos Sistemas Públicos Agroalimentares do MDS, Patrícia Gentil, da Secretaria de Segurança Alimentar e Nutricional do MDS, afirma que é importante seguir sempre buscando atores estratégicos. “O governo federal quer levar a bandeira da alimentação saudável para os próximos anos. Este é um caminho sem volta e nós vamos trilhá-lo.”

Segundo o secretário municipal de Desenvolvimento Social do Rio de Janeiro e vice-prefeito, Adilson Pires, a prefeitura é parceira na iniciativa. “Queremos aprofundar essa política na prefeitura. É muito importante reforçar ações de educação do consumidor para a alimentação mais saudável. E os governos – federal, estaduais e das capitais – têm um papel fundamental nisto.”

O Programa Saúde na Escola, que está presente em todas as escolas municipais cariocas, foi destacado pela secretária municipal de Educação, Helena Bomeny. “Temos muitas ações convergentes com o tema da alimentação saudável e espaços a serem ocupados pela campanha. Com certeza, nossa parceria será um sucesso.”

A campanha está prevista para estrear em março, com um calendário de ações que culmina nas Olimpíadas e prossegue até 2017, por meio de convênio com a Prefeitura do Rio. “A campanha teve uma primeira experiência na Copa do Mundo de 2014. Agora estaremos nas Olimpíadas. O objetivo é de que as ações se vinculem ao Pacto Nacional Pela Alimentação Saudável, tornando-se mais permanentes. Queremos que isso se transforme num tema estruturante nos serviços públicos da Educação, Saúde, Assistência Social, além do estímulo à produção de alimentos”, afirma Patrícia Gentil.

A prefeitura também discute a adesão ao Pacto Nacional Pela Alimentação Saudável, anunciado pela presidenta Dilma Rousseff durante a V Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, em novembro do ano passado. A capital fluminense está entre os dez maiores índices do ranking nacional de excesso de peso, segundo dados do Ministério da Saúde – 54,4% entre adultos. Além disto, apenas 22% das mulheres maiores de 18 anos consomem a quantidade mínima diária de frutas e hortaliças, número que leva o Rio de Janeiro para o 21º lugar entre as demais capitais brasileiras.

De acordo com o secretário nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do MDS, Arnoldo de Campos, “o momento é de unir esforços em torno do objetivo de tirar o Rio de Janeiro das primeiras colocações das capitais com maior percentual de obesidade”. O secretário afirma que a proposta é que as ações ganhem escala e inspirem outras iniciativas pelo país.

Brasil Saudável e Sustentável – Para enfrentar este desafio, a campanha vai se concentrar nos principais vilões do cenário em que o Brasil se encontra: alimentos ultraprocessados, com alto teor de sal, açúcar, sódio e gorduras, como sucos de néctar, biscoitos recheados, produtos instantâneos, feitos com conservantes, corantes etc. As ações serão voltadas para a promoção da alimentação saudável, dos benefícios dos alimentos produzidos localmente e das vantagens do consumo de produtos orgânicos e agroecológicos, com foco nas redes públicas de Educação, Saúde e Assistência Social.

Além da prefeitura do Rio de Janeiro, a campanha Brasil Saudável e Sustentável tem como parceiros os ministérios da Saúde, do Desenvolvimento Agrário e do Turismo, o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o Sindicato de Bares Hotéis e Restaurantes do Rio de Janeiro (Sindrio), o Instituto Maniva, o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), a Sociedade Nacional de Agricultura, a Agência de Cooperação Alemã (Giz), o Sesc e o Sesi. E ainda conta com o envolvimento de organizações econômicas da agricultura familiar, responsável pela produção da maior parte dos alimentos frescos consumidos pelos brasileiros diariamente.

Anúncios


Categorias:Alimentação

Tags:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: