Biblioteca Mário de Andrade traz especialistas estrangeiros para Seminário de História da Arte

image004

 

 

 

 

Victor Stoichita abre o encontro internacional, que acontece de 21 a 23 de julho, e faz parte das comemorações de

90 anos da biblioteca; Wim Pijbes, diretor do Rijksmuseum, e Eric de Chassey, da Academia Francesa, estão entre os convidados

 

Como parte das comemorações de seu 90º aniversário, a Biblioteca Mário de Andrade realiza de 21 a 23 de julho um evento gratuito dedicado à história da arte.

 

Além de incentivar a reflexão, o Seminário Internacional de História da Arte Sérgio Milliet resgata a vocação da Biblioteca Mário de Andrade de se dedicar às artes plásticas, uma vez que ela foi o primeiro local na cidade de São Paulo a formar uma coleção pública de arte e a manter um acervo bibliográfico sobre o tema.

 

O Seminário contará com a participação de historiadores e pesquisadores brasileiros e estrangeiros. O objetivo é promover uma discussão ampla sobre o status da história da arte na atualidade, abordando assuntos como a multiplicação de escolas artísticas, o relacionamento das instituições públicas e privadas detentoras de acervos com o público e a arte diante das narrativas contemporâneas.

 

Destaques da Programação – defensor de uma leitura antropológica da imagem, o romeno Victor Stoichita, professor de história da arte moderna e contemporânea da Universidade de Freiburg, Suíça, abre o encontro no dia 21.07, falando sobre ficção pictorial e fronteiras estéticas. Autor de livros de referência, a exemplo de “Como saborear um quadro”, Stoichita é considerado um dos principais teóricos modernos da história da arte.

 

Após a palestra de abertura, o Seminário promove uma mesa com o holandês Wim Pijbes, diretor do Rijksmuseum e responsável pela reforma e abertura do museu em 2013, seguido do português José Monterroso Teixeira, ex-diretor do Museu de Évora e do Centro de Exposições do Centro Cultural de Belém (Portugal).

 

No dia 22.07, entre as atrações, destaque para a espanhola Anna Maria Coderch, que apresenta a obra de Goya. Outra convidada estrangeira a falar nessa data é a professora argentina Silvia Dolinko, que comenta a produção em gravura feita em seu país. Ainda no segundo dia de Seminário, o ex-curador do Masp e professor da Unicamp Luiz Marques fala sobre a polêmica das cópias e falsificações.

 

O francês Eric de Chassey, diretor da Academia Francesa, participa da programação do último dia de evento, 23.07, com a provocação “Como vamos começar a escrever a história da arte mundial?”.

 

Serviço

Seminário Internacional de História da Arte Sérgio Milliet

Data: de 21 a 23 de julho

Local: Biblioteca Mário de Andrade

Endereço: Rua da Consolação, 94, centro

(Metrôs Anhangabaú – República)

Telefone: (11) 3775-0002

Grátis

 

Programação

 

Dia 21.07, terça-feira

 

18h – Abertura “O Efeito Don Quixote: ficção pictorial e fronteiras estéticas”, com Victor Stoichita

 

19h30 – Mesa I: A memória em foco

 

O novo Rijksmuseum: velhos mestres para um novo público!”, com Wim Pijbes

 

“Utopia e monumentalidade. Celebração, propaganda e discurso arquitetônico”, com José Monterroso Teixeira

 

21h30 – Debate

 

Dia 22, quarta-feira

 

10h – Mesa II: Persona e Representação

 

“O Riso de Goya”, com Anna Maria Coderch

 

“Triunfo e infâmia: o falseamento da vida de Antônio Francisco Lisboa, “o Aleijadinho”, com Luiz Armando Bagolin

 

12h – Debate

 

15h – Mesa III: Original e Cópia

 

“Modelos, cópias e falsos”, com Luiz Marques

“Original múltiplo: definições e tensões sobre a gravura na Argentina”, com Silvia Dolinko

 

17h – Debate

 

Dia 23, quinta-feira

 

10h – Mesa IV: Cultura visual e narrativa

 

“Historiografia da arte e cultura visual: diálogos e embates”, com Maria Lúcia Bastos Kern

 

“Imagens plásticas e narrativas literárias: cientificismo e arte no Brasil no final do século XIX”, com José Leonardo do Nascimento

 

12h – Debate

 

15h – Mesa V:  Museu imaginário e reprodutividade

 

“Um museu imaginário no pós-guerra: o programa de exposições da Seção de Arte da Biblioteca Municipal de São Paulo (1945-1960)”, com Helouise Costa

 

“Montagem, fotografia, espelho: Waldemar Cordeiro depois do concretismo”, com Annateresa Fabris.

 

17h – Debate

 

19h – Mesa VI: Novas propostas para História da Arte

“Como vamos começar a escrever a história da arte mundial? O exemplo da abstração no imediato segundo pós-guerra”, com Éric de Chassey

 

“História da arte hoje: conexões entre arquivos de artistas e de historiadores”, com Mônica Zielinsky

 

21h – Debate

Anúncios


Categorias:Agenda, Cultura

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: